coletivos em rede e organizações - coro

 


Branco do Olho


Ativo desde 2004
Origem: Recife – PE
Augusto Japiá + Bárbara Collier + Bruno Alves + Bruno Monteiro + Bruno Vieira + Bruno Vilela + Eduardo Romero + Gileno + João Manoel Feliciano + Luciana Padilha + Rômulo + Sérgio Vasconcelos + Tatiana Moes + Tereza Neuma + Xanxa.
O Branco do Olho é um grupo com a intenção de agir, discutir, trocar e refletir as questões da arte atual.
O grupo iniciou este processo em agosto de 2004, num espaço coletivo na Ladeira da Misericórdia, na cidade de Olinda, Pernambuco. Hoje o grupo se encontra sem um espaço físico, mas dá continuidade às suas propostas, através de encontros virtuais, sendo um coletivo de artistas (http://br.groups.yahoo.com/group/brancodoolho/).
O Branco do Olho, coletivo de artistas, procura manter uma política de congregação, a fim de reunir esforços para a realização de projetos e discussões de questões relativas ao meio artístico num sentido amplo. Esses projetos incluem exposições de artes visuais, projeções de vídeos, performances, intervenções urbanas, bolsas para artistas, palestras, debates e reflexões.
O Grupo, formado por 15 integrantes, promoveu encontros, procurando um contato com o público e com artistas convidados, valorizando, tanto a individualidade dos artistas integrantes, mantendo uma independência de linguagem, como pela fusão de idéias e trabalhos sendo feitos e pensados por mais de um artista em grupo.

http://br.groups.yahoo.com/group/brancodoolho



Branco do Olho

Actif depuis 2004
Origine: Recife PE
Augusto Japiá + Bárbara Collier + Bruno Alves + Bruno Monteiro + Bruno Vieira + Bruno Vilela + Eduardo Romero + Gileno + João Manoel Feliciano + Luciana Padilha + Rômulo + Sérgio Vasconcelos + Tatiana Moes + Tereza Neuma
+ Xanxa.
Le Branco do Olho [Blanc de l'oeil] est un Groupe qui a l'intention d'agir, de discuter, d'échanger et de réfléchir sur les questions de l'art actuel. Le groupe a démarré ce processus en août 2004, dans un Espace Collectif à la Ladeira da Misericórdia, dans la ville d'Olinda, Pernambuco. Aujourd'hui le groupe se trouve dépourvu d'espace physique, mais mène à bien ses propositions par le moyen de rencontres virtuelles, en tant que Collectif d'Artistes(http://br.groups.yahoo.com/group/brancodoolho/). Le Branco do Olho, collectif d'artistes, cherche à tenir une politique de congrégation, à fin de réunir les efforts dans la réalisation de projets et de discussions autour des questions en rapport avec le milieu artistique au sens large. Ces projets incluent des expositions d'arts visuels, des projections vidéo, des performances, interventions urbaines, bourses pour artistes, conférences, débats et réflexions.
Le Groupe, qui rassemble 15 membres, a organisé des rencontres qui cherchaient un contact avec le public et avec les artistes invités, mettant en valeur, d'une part l'individualité des artistes - tenant à l'indépendance du langage - et d'autre part, la fusion d'idées et de travaux faits et pensés par plus d'un artiste.


http://br.groups.yahoo.com/group/brancodoolho

QUESTIONÁRIO

1. Defina seu coletivo, rede ou iniciativa independente.

As duas coisas. Nasceu para ser um espaço aberto para o debate, para ações, para não ter fronteiras especialmente conceituais. Assim, existem situações em que vai atuar como rede e como iniciativa.

2. Como pensam a coletividade na prática artística contemporânea?

Como este espectro largo, necessário e vibrante que pode ser um caldeirão de trocas e índices e, quando necessário, re-significações pela prática artística. Desta forma, o B.O. se institui também como um espaço expositivo, auto-curatorial e desburocratizado de gestão fluida e participativa inclusive para artistas convidados.

3. Como pensam o indivíduo no coletivo?

Como um cadinho ou um depoimento de seu estatuto aberto para a troca coletiva.

4. Como se organizam coletivamente?

Por reuniões presenciais.

5. Qual a posição do coletivo em relação às instituições? (circuito, mercado, inserção, curadoria, crítica, museus...).

Independência.

6. Como o coletivo se mantém e viabilizam materialmente suas ações? (tem patrocínio?, etc.).

Via de regra, por iniciativa própria. Mas se necessário o apoio não se hesita em solicitar.

7. A quais ações artísticas se propõem? Exemplifique.

Ações, performances, intervenções, eventos (festas e vernissagens), mostras.

8. Existe um posicionamento ético/político pré estabelecido em suas práticas e conceitos? Quais os critérios utilizados para concepção dos projetos do grupo?

Não existe um critério fixo, senão a máxima abrangência de troca e intercâmbio.

9. Qual a posição do coletivo em relação à curadoria? (pense curadoria nas mais diversas formas, desde interna (dos integrantes) a externa (convidados ou propostas).

Neste sentido, a experimentação tem sido o norte. Tivemos ocasião para isso durante o Fraenkelstein II, mostra de Fotos no Jardim, uma curadoria local para o Olinda Arte em Toda Parte e foram experiências muito positivas. Mas tem a experimentação dos eixos por peça central. Pretendemos retomar isso, este ano.

10. caso seu coletivo não exista mais, diga quando e porque.


O B.O. fisicamente nasceu com dia e hora para deixar de existir, pois surgiu da casualidade de um espaço físico relativamente barato, interessante e oportuno para esse encontro. Assim desde dezembro está limitado ao egroup no yahoo. Mas por esses dias deve ter um novo endereço físico em Olinda-PE (as providências pra isso já estão sendo tomadas).