coletivos em rede e organizações - coro

 


Esqueleto Coletivo

Ativo desde 2002
Origem: São Paulo – SP
Eduardo Verderame + Luciana Costa + Mariana Cavalcante + Thereza Salazar + Rodrigo Barbosa
Esqueleto Coletivo é uma associação de artistas e produtores empenhados em ampliar as fronteiras da arte no cotidiano, trabalhando conjuntamente com outros artistas e grupos. O Esqueleto vem desenvolvendo a produção de eventos de arte e exposições, performance e dança, música e vídeo, além de promover parcerias na área cultural.
www.esqueleto.tk



Esqueleto Coletivo

Actif depuis 2002
Origine: São Paulo SP
Eduardo Verderame + Luciana Costa + Mariana Cavalcante + Thereza Salazar + Rodrigo Barbosa
Esqueleto Coletivo est une association d'artistes et de producteurs engagés dans l'élargissement des frontières de l'art au quotidien, travaillant avec d'autres artistes et groupes. L'Esqueleto développe la production d'événements d'art et d'expositions, performances, ainsi que de la danse, la musique et la vidéo, en plus de promouvoir des partenariats dans le domaine culturel

www.esqueleto.tk

ESQUELETO COLETIVO

Escambo
‘Troca de objetos ou serviços sem fazer uso de moeda.
(Dicionário Aurélio)

Um espaço aberto para manifestações espontâneas, uma feira de trocas na rua onde tudo pode ser negociado com valores em construção.
Uma ação artística interativa e mutante, na qual o olhar se confunde com o querer e com uma nova forma de diálogo, esta é a proposta do Esqueleto Coletivo para o Santa Teresa de Portas Abertas.
Na semana do evento montaremos áreas de troca de objetos diversos em diferentes espaços a serem definidos durante o processo de convivência do grupo com o lugar e as pessoas.
Convidamos todos os envolvidos a levar objetos para troca. Trabalhos de arte, livros, discos, selos, brinquedos, roupas, antiguidades, fotografias, adesivos, cartas, plantas, produtos naturais, massagem, corte de cabelo, narração de estória ... O Esqueleto Coletivo está aberto para propostas.
A feira terá uma identidade visual criada a partir de cartazes para divulgação (a ser espalhados pela região), camisetas e adesivos que estarão disponíveis para a troca. Haverá também um painel de classificados para quem quiser trocar objetos específicos.
Escambo propõe um olhar diferente sobre o valor das coisas, na troca sem moeda o principal é o diálogo que constrói a história e os sentimentos ligados ao objeto, bem como o desejo do sujeito, para além de suas necessidades. O objetivo é trazer o valor das pessoas à tona, em detrimento do valor das coisas, pois o parâmetro do “preço” é subjetivo.

Feira de Troca.
Áreas de troca, inscrições, quantidade dos eventos e divulgação a combinar com os organizadores do Santa Teresa de Portas Abertas.
Incluir outros coletivos e pessoas interessadas para participar da ação.


1.Defina seu coletivo.
O Esqueleto é um aglutinador de inquietações culturais.

2. Como pensam a coletividade na prática artística contemporânea?
Bastante difundida, para o grupo uma estratégia para concretizar ações.

3. Como pensam o indivíduo no coletivo?
Dependendo da ação, o esqueleto privilegia e apóia ações individuais de seus elementos, mas não existe regra fixa. Qualquer dos membros que necessitem da ajuda dos outros geralmente é bem recebido...

4. Como se organizam coletivamente?
Reuniões semanais, projetos juntos, cada membro cuida de alguma atividade especifica, sempre escrevendo pautas com obrigações e novidades.

5. Qual a posição do coletivo em relação às instituições? (circuito, mercado, inserção, curadoria, crítica, museus...).
O coletivo se mantém aberto para negociar sua participação em quaisquer eventos ou atividades que lhe interessem, independente do organizador. O grupo também se sente no direito de recusar participar em eventos cujo contexto não concorda ou interessa.

6. Como o coletivo se mantém e viabilizam materialmente suas ações?
(tem patrocínio, etc.).
O esqueleto busca soluções para a questão material através de patrocínios e parcerias. Para ações de pequeno porte, o grupo rateia as despesas.

7. A quais ações artísticas se propõem? Exemplifique.
Projetos na rua, como colagem de cartazes, lambe lambe, ou grafite. Participação em mostras de arte em espaços convencionais e não convencionais. Organização de eventos ligados à arte contemporânea, em diversas tendências (artes visuais, dança, vídeo, foto, etc).

8. Existe um posicionamento ético/político pré-estabelecido em suas práticas e conceitos? Quais os critérios utilizados para concepção dos projetos do grupo?
O Esqueleto não tem filiação ou atuação partidária, o que não significa falta de ética ou clareza. Os critérios para definir os projetos são discutidos em grupo ate tornar a idéia clara. O Esqueleto é muito pouco pré-concebido e pouco dogmático. Preferimos deixar que a fluidez das idéias nos conduza a uma solução.


9. Qual a posição do coletivo em relação à curadoria?
(pense curadoria nas mais diversas formas, desde interna (dos integrantes) a externa (convidados ou propostas)).
O Esqueleto é um grupo que nasceu com uma tendência a aglutinar artistas em prol de objetivos comuns. O grupo tem uma posição que pode ser entendida como curatorial, porque se trata de um recorte que interessa uma discussão especifica.